Introdução ao MS-DOS

Em termos gerais, podemos definir Sistema Operacional como sendo a interface entre os programas efetuados pelo usuário e o equipamento propriamente dito. Esta interface não é mais do que um conjunto de programas que podem ser divididos em duas partes distintas sendo, uma delas, obrigatoriamente dependente do hardware, e outra, independente deste.

Mais especificamente, o MS-DOS (Microsoft Disk Operating System) é um sistema utilizado para realizar operações com os discos (Hard Disk e disquetes) e os arquivos contidos neles.

A Composição do MS-DOS

O shell (núcleo) do MS-DOS que realiza a função de inicialização e de ligação entre o equipamento e os periféricos conectados é constituído de três arquivos:

  • MSDOS.SYS: gerencia a maior parte das funções do sistema.
  • IO.SYS: efetua a comunicação de entrada/saída (Input/Output), através dos periféricos.
  • COMMAND.COM: interpretador de comandos.

Os arquivos MSDOS.SYS e IO.SYS fazem parte do sistema propriamente dito e ficam protegidos (são arquivos escondidos).

 A História 

A IBM precisava de um sistema operacional para usar como padrão em sua nova linha de produtos, os PC’s (Personal Computers, computadores pessoais) de 16 bits e tencionava comprar o sistema CP/M desenvolvido por Gary Kildall. Inicialmente, o pessoal da IBM contatou Bill Gates (que na época desenvolvia interpretadores da linguagem BASIC), acreditando que ele detinha os direitos sobre o CP/M; Gates desfez o equívoco e encaminhou-os para a Digital Research, cujo dono era Kildall.

Não houve acordo entre as partes, particularmente no tocante aos valores, e a IBM voltou a procurar Bill Gates, que ainda não tinha nenhum sistema operacional pronto para oferecer. Gates, contudo, lembrou-se de Tim Paterson, programador da SCP (Seattle Computer Products), que havia desenvolvido o QDOS (Quick and Dirty Operating System, posteriormente, 86-DOS).

Ele entrou em contato com a SCP e comprou os direitos sobre o 86-DOS por (supostamente) US$ 50.000. Pouco depois, Bill Gates contratou Tim Paterson, o desenvolvedor do QDOS, para trabalhar na Microsoft (onde ele ficou entre maio de 1981 até abril de 1982).

Com algumas modificações no 86-DOS, surgiu o MS-DOS (MicroSoft Disk Operating System) o qual rapidamente dominou o mercado dos IBM-PC compatíveis.  O ponto chave aqui foi a decisão de Gates, na época, em vender o MS-DOS para fabricantes de computadores com o objetivo de que estes pudessem incorporá-lo ao seu hardware, ao contrário da tentativa de Kildall de vender o CP/M individualmente (por preço mais alto) para usuários finais.

O sistema operacional foi muito bem sucedido no início, mas eventualmente as pessoas começaram a preferir os sistemas que têm interface com o usuário. Microsoft Windows desenvolvido bem em 1985, foi a primeira de uma interface do usuário que rodava em MS-DOS. Em seguida, ambos terminaram fundindo para se tornar Windows.

Fontes:

Apostila de MS-DOS do Centro Federal de Ensino Tecnológico do Paraná

http://rotinadigital.net/wordpress/30-anos-de-ms-dos/

Anúncios

2 Respostas para “Introdução ao MS-DOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s